Sapinhos


O Veado e o Sapo
" Um veado e um sapo queriam casar com a mesma moça. Para decidirem a questão o veado fez uma proposta de disputarem uma corrida
-Temos aqui uma estrada comprida. Vamos correr cumpadre Sapo, quem chegar primeiro, casa com a moça! - O sapo concordou e marcaram a corrida para o dia seguinte.
O veado ficou explodindo de alegria, aonde já se viu um sapo disputar corrida com o veado, bicho mais ligeiro da mata????
Mas o sapo que não era bobo reuniu mais de cem companheiro, aos quais contou o caso e combinaram que cada um dos sapinhos ficaria num trecho da estrada e quando o veado passasse gritaria "Gulugubango. bango lê" e o sapo apostador ficaria sossegado esperando no ponto final da estrada.
Chegada a hora da corrida o veado disparou levantando poeira, cerca de cem metros, quando pensou já ter pegado bastante distancia, encontrou com o sapo adiante dele cantando "Gulugubango, bango,lê"
-Sera possível  - pensou o veado e acelerou o trote. Voou mais cem metro e de novo deu com o sapinho a sua frente com a cantiga.
O veado começou a suar frio. Deu maior velocidade as pernas avançando mais duzentos metros, rápido como um relâmpago, mas não adiantou logo ouviu a "Gulugubango,bango,lê" pela terceira vez...
E foi assim durante toda a corrida, quando chegou alinha final, mas morto do que vivo, com as pernas tremulas e sem força viu o sapo, bem tranquilo cantarolando a sua musica com a voz bem descansada ganhar a corrida.
Quando o veado descobriu a artimanha do sapo ficou furioso e jurou vingança!
Na noite do casamento do sapo com a moça o veado foi ao quintal do sapo e encheu de água fervente a lagoa aonde o sapo nadava. Lá pelas tantas da festa o sapo quis se refrescar e veio a lagoa e Tchi-bum
pulou dentro e morreu escaldado!!!!
O veado muito contente da vida foi consolar a família e acabou por se casar com a viuva!!! "
Conto do livro Estorias da Tia Nastacia de Monteiro Lobado adapatada por Nil Lima da Silva


Riscos de sapos para pintar.